Ibogaína: Antídoto para depressão - Clínica IBTA 
(19) 3844-8316 (19) 99678-1506

Ibogaína: Antídoto para depressão


Ibogaína: Antídoto para depressão

Não é frescura, não é preguiça, não é falta de força de vontade. Depressão é uma doença e pode acontecer com todo mundo – afirma Dr. Drauzio Varella para o Fantástico

Familiares e amigos próximos precisam, primeiramente, entender o que é a depressão, ou seja, seu caráter patológico. E precisam reconhecer a gravidade de suas consequências, pelas perdas que os sintomas depressivos causam, tanto prejudicando as relações familiares, sociais e profissionais, como induzindo a um cuidado pessoal precário e ao risco de morte por suicídio. 

Muitas pessoas confundem tristeza com depressão, mais uma é distinta da outra, a tristeza é u sentimento comum e natural quando se passa por perdas ou as coisas não andam como gostaríamos, já a Depressão envolve alterações físicas como a perda do sono ou apetite, dificuldade de sentir prazer, pensamentos muito negativistas, dificuldade de se concentrar, realizar tarefas simples, desinteresse.

As vezes a Depressão pode estar ligada a contextos do passado, um abuso emocional, ofensas, falta de respeito, comparações, falta de apoio, amor e carinho na família, desilusões afetivas e perdas na infância podem ser fatores que aumentam a chance de ter depressão quando adulto. A psicoterapia pode ajudar a diminuir o impacto destes contextos no presente.

Essa é uma doença da qual seus portadores sofrem descriminação visto que a maior parte das pessoas encaram os depressivos como sendo pessoas desmotivadas, mal humoradas, e sem iniciativa própria. Outras inclusive julgam os portadores de depressão por afirmar que bastem eles quererem mudar e por outro lado se não mudam é porque não querem!

A história mostra que ter ou não depressão não está atrelado a falta de relacionamentos, de dinheiro, de emprego, de um pai ou mãe, até porque pessoas de sucesso outras ricas e bem sucedidas também sofrem e sofreram de depressão. A verdade é que o estado depressivo não escolhe classe social, gênero, religião, ou qualquer outro tipo de categoria.  A etiologia da palavra depressão vem outras palavras, no relevo há estruturas ascendentes e descendentes. A partir desta observação da realidade nasce a palavra depressão, que vem do latim depressio. Em sua origem mais remota, este termo era usado para descrever a dimensão mutante da Terra. Com o passar do tempo, a ideia de afundamento terrestre foi projetada para outras áreas, como o declínio emocional do indivíduo e da economia.

Outra característica da depressão é que após tê-la, na maioria das vezes existem recaídas, em outras palavras, talvez a pessoa pense ter superado a depressão, mas ela possivelmente terá recaídas da mesma, e teme a possibilidade de apresentar novamente o estado depressivo.

Na percepção terapêutica a depressão pode ser classificada em dois grupos, ou categorias: - Depressão endógena ou depressão exógena.

Na depressão exógena trata-se de fatores ou motivos externos que provocam no individuo o estado depressivo, como por exemplo, bulling, problemas profissionais, econômicos, etc.... Na depressão exógena existe uma alteração da glândula supra renal gerando o aumento do hormônio cortisol e a falta de serotonina, por tanto, o paciente sente-se estressado, deslocado, e insatisfeito e muita das vezes com problemas de disbiose intestinal.

Já na depressão endógena os motivos não são de origem externas e sim de origem interna, em outras palavras está atrelado aos níveis de dopamina e as vezes até mesmo de serotonina. Neste caso, a pessoa sente um estado deprimido sem uma aparente causa. Talvez até mesmo se pergunte: “Não sei porque estou me sentindo assim?” porém a resposta é simples, são questões bioquímicas externas e as vezes essas alterações acontecem por questões hereditárias.

Tanto da depressão endógena quanto na depressão exógena, os especialistas levam em consideração questões emocionais, pois a falta de alguns minerais, tais como lítio, vanádio, cromo, zinco... podem gerar estados depressivo.

Outra questão que os especialistas geralmente se atentam é a importância da exposição a luz solar, até então os países como a Noruega está no topo do ranking onde mais suicídios acontecem por depressão. E os especialistas hoje sabem que isso acontecem devido à pouca exposição a luz solar. E é sabido por todos que uma pessoa com depressão geralmente evita situações ao ar livre e contraposição preferem quartos escuros e até mesmo a noite.

Outro motivo importante de ser investigado em pessoas que sofrem depressão é a presença de micro organismos, tais como parasitas e fungos que provocam comportamentos depressivos.

Alguns se consideram depressivos e nem se quer se atentam de que na verdade sofrem de uma pressão arterial relativamente baixa que as dificultam de levantar da cama. As pessoas que sofrem deste mal resistem em procurar ajuda profissional e, quando buscam tem dificuldade em dar continuidade ao tempo necessário para se chegar ao um resultado significativamente satisfatório.

Em média um tratamento para depressão dura de 6 meses a 1 ano e este é um dos grandes obstáculos para a maior parte dos que buscam um tratamento para depressão.

Estudos realizados em várias partes do mundo, mostram que um tratamento de grande eficácia no tratamento de depressão é o uso ambulatorial de uma substancia chamada ibogaína. Essa substancia tem provado ser responsável em regular os níveis neuro-hormonais de indivíduos com depressão, como exemplo a dopamina, serotonina, etc....

Levando-se em consideração que boa parte dos depressivos sofrem da depressão endógena e a mesma está atrelada aos níveis de dopamina e serotonina, que é o ponto forte de ação da ibogaína. A mesma tem se mostrado extremamente eficaz nesta forma de tratamento, afirma Rogério Souza - diretor do IBTA (Instituto brasileiro de terapia alternativa). Além do que ao regular os níveis neuro-hormonais a pessoa tem a capacidade de mudar sua percepção quanto aos motivos exógenos que a fazem sentir depressão e desta forma, a ibogaína também torna-se eficiente no tratamento da depressão – comenta Rogério Souza.

O IBTA – Instituto brasileiro de terapia alternativa, na região de Campinas é pioneiro no tratamento de depressão por ibogaterapia no Brasil, já atendeu centenas de pacientes com esta enfermidade e afirma que, além dos resultados expressivos uma de suas vantagens é o fato de que pelo tratamento ocorrer em apenas 5 dias seguidos a possibilidade de desistência antes da conclusão é quase que zero.

Se você sofre ou conhece alguém com depressão, é importante em primeiro lugar reconhecer a existência da doença, em segundo entender que todo estado manifesto pelo corpo ou mente, deve-se a uma causa, por tanto, é necessário detecta-la para então resolve-la – afirma Rogério Souza.